A colecção Cultura, Media e Artes, colecção de ebooks CECL / UnyLeya, tem por objectivo central interrogar as dimensões culturais da comunicação. O seu objecto é a produção discursiva e imagética que constitui a cultura, assim como as mediações, as técnicas e as redes que estão na base do seu registo e disseminação. Pensamento, imagem, linguagem e artes a partir dos quais a cultura se reinventa e dispositivos tecnológicos ligados aos processos de mediação e retenção das práticas criativas desenham o perfil filosófico e científico para acolhimento de edições temáticas.

Ficha Técnica

Ideia e Concepção da Colecção: Maria Teresa Cruz
Directora da Colecção: Maria Lucília Marcos
Produtor Executivo: Samuel Mateus
Assistente Editorial: Rita Conde

UnYLeYa
Rua Cidade de Córdova, n.º 2
2610-038 Alfragide – Portugal
Tel. (+351) 21 427 22 00
Fax. (+351) 21 427 22 01

CECL - Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens
Avenida de Berna, 26-C, 5.º andar, sala 506
1069-061 Lisboa – Portugal
Tel. (+351) 21 795 08 91
Fax. (+351) 21 795 08 91

© UnYLeYa e CECL
Todos os direitos reservados de acordo com a legislação em vigor

As publicações editadas nesta colecção têm distribuição simultânea em Portugal e no Brasil

 

Cultura e Técnica: A Filosofia dos Media de Friedrich Kittler

cultura e tecnica a filosofia dos media de friedrich kittlerJORGE VIEIRA RODRIGUES, MARIA TERESA CRUZ (ORG.), LISBOA: CECL/UNYLEYA, 2017, EBOOK, COLECÇÃO CULTURA, MEDIA E ARTES Nº5, 249 PGS.

ISBN Portugal 9789899850354 | ISBN Brasil 9788544106280
À venda nas plataformas Wook, Kobo, IBA e Livraria Cultura

O presente volume tem por objectivo a introdução da obra de Friedrich Kittler (1943-2011) nos países de língua Portuguesa, contribuindo aí para uma leitura mais alargada de um dos mais originais intérpretes da experiência e da cultura contemporâneas. Este volume reúne ensaios de diferentes e temáticas e momentos da obra de Friedrich Kittler, procurando oferecer uma visão ampla do seu pensamento e do modo como este contribuiu para tornar a história e a teoria dos media numa disciplina central das humanidades e do pensamento crítico contemporâneo.

Sendo em muito um historiador da cultura, os seus olhos estiveram sempre fixados nas transformações do presente, que vamos antecipando tão profundas como determinantes. Partindo da compreensão de aspetos fundantes da experiência ocidental, e daquilo que esta nomeou como cultura e humano, desvendou o papel que as materialidades e a técnica desempenham na exteriorização do próprio espírito e as razões pelas quais o modo de ser do humano o conduz a uma história inevitavelmente em aberto. Sendo um autor dotado de enorme erudição no campo da filosofia e da literatura, interessou-se particularmente pela emergência dos media modernos os quais, suportando os domínios da perceção e da produção simbólica e ainda as operações de registo, de transmissão e de cálculo da informação determinaram a nossa experiência cultural, com destaque, nas últimas décadas, para as tecnologias digitais e para a introdução rapidamente dominante do computador. A necessidade de uma arqueologia em profundidade do digital, conduziu-o à reflexão sobre desígnios há muito apontados por uma cultura que privilegiou a matemática e o alfabeto, mas também a música e a poesia, tendo deixando em aberto, nos seus últimos livros, uma ontologia dos média que deveria conduzir a uma reescrita global da história da cultura. A sua obra, amplamente discutida desde as últimas décadas do século XX, tem contribuído para formar, mais do que discípulos, outros pensadores marcantes da atualidade. A vertente histórica e crítica que privilegiou como metodologia não deixou nunca de apontar adiante e por isso a sua obra auxiliará a compreender ainda um tempo por vir.

A presente colectânea é constituída por catorze textos com três ensaios traduzidos a partir da língua inglesa e onze a partir da língua alemã. A escrita kittleriana é marcada por uma estratégia inabitual para quem tem familiaridade com textos filosóficos alemães, constituindo uma língua própria que, no entanto, dispõe da complexidade não para obscurecer qualquer parte do raciocínio, mas sim para desembocar em frases lacónicas e desconcertantes pela pertinência das suas conclusões. A leitura de Kittler é tanto mais eficaz quanto o leitor estiver disponível para colocar em questão conceitos evidentes e sedimentados no discurso das Ciências Sociais e Humanas. Esses mesmos conceitos, através do projecto de uma Ontologia dos Média, retornam deslocados, surpreendentes, plenos de consequências.

Os textos são, como requer uma tradução crítica, abundantemente pontuados por notas de texto que, para além de denotarem a complexidade da prosa kittleriana e justificarem as escolhas terminológicas às quais procedemos, podem servir ao leitor de pontos de aprofundamento para desenvolver a abordagem de Kittler face aos problemas que trata.

Tecnologias Culturais e Artes dos Media

tecnologias culturais artes mediaMARIA TERESA CRUZ, MARIA AUGUSTA BABO, JOSÉ GOMES PINTO (ORG.), LISBOA: CECL/UNYLEYA, 2016, EBOOK, COLECÇÃO CULTURA, MEDIA E ARTES Nº4, 858 PGS.

ISBN Portugal 9789899850361 | ISBN Brasil 978-85-441-0493-4
À venda nas plataformas Wook, Kobo, IBA e Livraria Cultura

Este livro resulta dos contributos apresentados no âmbito da conferência internacional “Tecnologias Culturais e Artes dos Media”, co-organizada pelo Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens da Universidade Nova de Lisboa e pelo Goethe-Institut de Portugal. Pretendeu-se com esta iniciativa reconhecer a importância que a teoria dos media tem assumido nos estudos culturais, nomeadamente sob a influência determinante da obra de Friedrich Kittler (1943-2011), cuja receção e discussão têm conhecido um âmbito muito alargado no pensamento contemporâneo. Pretendeu-se também promover a discussão de novos contributos nesta área, nomeadamente através dos ensaios de Bernhard Siegert, de Sybille Krämer e de Peter Weibel centrados nas temáticas da operatividade e das técnicas culturais que, para além da atenção às materialidades aos aparelhos e aos dispositivos, marcam a teoria dos media contemporânea. A par das perspetivas interdisciplinares e arqueológicas, muito presentes nos estudos culturais e dos media, são também as transformações decorrentes da introdução do computador e das novas tecnologias da informação que constituem o horizonte direto e indireto de várias reflexões aqui apresentadas. O convite a especialistas de elevado perfil internacional e a uma comunidade muito alargada de investigadores portugueses permitiu reunir neste volume um conjunto muito rico de contributos de várias áreas das ciências humanas, da teoria e estudos da cultura, das ciências da comunicação, da teoria dos media, da estética e teoria da arte, da literatura, do cinema, da fotografia, da música e do design.

Continuar...

Jacques Derrida

jacques derridaMARIA LUCÍLIA MARCOS, MARIA AUGUSTA BABO, RICARDO SANTOS (ORG.), LISBOA: CECL/UNYLEYA, 2015, EBOOK, COLECÇÃO CULTURA, MEDIA E ARTES Nº3, 294 PGS.

ISBN Portugal9789899850347 | ISBN Brasil 9788544101452
À venda nas plataformas Wook, Kobo, IBA e Livraria Cultura

Durante o ano de 2014, dez anos após a morte de Jacques Derrida, diversos autores se empenharam no desafio de escrever a partir de e sobre temas e conceitos deste pensador francês, alargando assim o vasto horizonte dos seus leitores. Do conjunto desses ensaios, surge este livro que agora vem a público pela chancela CECL - UNYLEYA.

Nascido na Argélia, em 1930, de origem judaica, Derrida marcou definitivamente o pensamento filosófico e político contemporâneo, quer no domínio académico e literário, quer no domínio da intervenção cívica, através de uma escrita interpeladora, para-doxal, inconfortável.

Abrangendo uma multiplicidade de perspectivas que a obra derrideana suscita, os artigos aqui recolhidos são originais, escritos e seleccionados para este volume. Duas excepções: o texto de Jean-Luc Nancy, "IPSO FACTO COGITANS AC DEMENS", publicado em Pour le Temps à Venir: Derrida (Paris: Stock, 2007) e o texto de Eduardo Prado Coelho "A desconstrução como movimento", publicado originalmente na Revista de Comunicação e Linguagens nº 28 (Tendências da Cultura Contemporânea, Lisboa: Relógio d'Água, 2000). O primeiro é traduzido e publicado por sugestão expressa do próprio autor e o segundo sob licença da Direcção da RCL

Fevereiro de 2015

Continuar...

Olhares sobre a Cultura Visual da Medicina em Portugal

olhares sobre cultura visual medicina ebookANTÓNIO FERNANDO CASCAIS (ORG.), LISBOA: CECL/UNYLEYA, 2014, EBOOK, COLECÇÃO CULTURA, MEDIA E ARTES Nº2, 276 PGS.

ISBN Portugal 9789899850316 | ISBN Brasil 978-85-441-0098-1
À venda nas plataformas Wook, Kobo, IBA e Livraria Cultura

Olhares sobre a Cultura Visual da Medicina em Portugal reúne os textos definitivos elaborados a partir das comunicações ao Colóquio "Um Olhar sobre a História da Cultura Visual da Medicina em Portugal", realizado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa de 20 a 21 de Novembro de 2012, promovido pelo Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens da mesma Universidade no âmbito do Projecto de I&D HC/0110/2009 - História da Cultura Visual da Medicina em Portugal, financiado pela Fundação Para a Ciência e Tecnologia e de que aquele centro de investigação foi a instituição proponente. A maioria dos autores incluídos no presente livro integrou, como membro efectivo, a equipa de investigadores do projecto e reflecte alguns dos resultados das pesquisas efectuadas no seu decurso, sendo os restantes da autoria de pesquisadores que empreenderam estudos afins.

António Fernando Cascais, Setembro 2014

Continuar...

I WOULD PREFER NOT TO. em torno de Bartleby

i would prefer not to ebookMARIA LUCILIA MARCOS (ORG.), LISBOA: CECL/UNYLEYA, 2013, EBOOK, COLECÇÃO CULTURA, MEDIA E ARTES Nº1, 168 PGS.

ISBN Portugal 9789899850316 | ISBN Brasil 9788544100134
À venda nas plataformas Wook, Kobo, IBA e Livraria Cultura

I would prefer not to – no conto de Melville, estas palavras fazem hesitar a lógica da comunicação e do reconhecimento e também a lógica das relações laborais entre patrão e empregado, num ambiente de trabalho regulado por regras de eficácia, de produtividade e de lucro. Poderão alguns aspectos da experiência contemporânea ser pensados à luz deste enunciado? Que advém ao sujeito que as diz? Que efeitos produzem em quem as ouve? Que condições e que exercícios (des)mobilizam?

Cada um lê o enunciado do Bartleby a seu modo. Cada um faz as suas contas e ajusta as suas contas com o Bartleby.

O ciclo "I would prefer not to", organizado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa em Outubro de 2012, pretendeu suscitar um espaço e um tempo para essas várias leituras. Pelo teatro, realizou-se a leitura encenada de uma adaptação do conto pelos Artistas Unidos; pelas artes plásticas, organizámos uma exposição de obras inéditas de sete artistas portugueses na Plataforma Revolver em Lisboa, cujas imagens são aqui disponibilizadas ao leitor; pela escrita, realizámos um colóquio na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, cujos textos reproduzimos neste livro; pelo cinema, com uma mostra de filmes, exibidos também na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, cuja programação esteve a cargo de Inês Sapeda Dias e Joana Frazão.

As palavras ligam e interrompem, atam e suspendem – na literatura e na vida. Há um valor nas palavras que excede as 'simples palavras'.

Maria Lucilia Marcos, Dezembro 2013

Continuar...