Coordenador: José Augusto Bragança de Miranda

Duração: 2002-2006

Referência: POCTI/COM/34436/2000

Website do projecto: http://www.cecl.com.pt/redes/index.html

 

cultura_redes

Objectivos:

Dar conta dos modos como a cultura portuguesa interage com as redes telemáticas globais, nomeadamente a WWW e a Internet.

 

Estruturado segundo quatro momentos fundamentais:

  1. Analisar e definir sistematicamente o próprio o conceito de rede, tendo como ponto de partida diversos quadros teóricos e formais serão um ponto de partida, onde se incluem os grafos típicos das redes, desde os grafos hierárquicos até grafos entre a ordem e a desordem, mas também as definições sócio-antropológicas das redes e as concepções filosóficas. Análise aprofundada e uma avaliação crítica das teorias e modelos existentes, de modo a construir um modelo das redes, simultaneamente teórico e prático, permitindo operacionalizar a investigação sobre a cibercultura portuguesa.
  2. A partir desse quadro, desenvolver metodologias adequadas para o estudo empírico dos sites portugueses na WWW ou na Internet. Três momentos principais, a saber:
    1. a delimitação de um conjunto de critérios formais e de conteúdos dos sites portugueses na Internet, o que implica, a nível teórico, um definição rigorosa do que é a cibercultura;
    2. a criação de aplicações de software para o mapeamento dos sites portugueses, seu registo numa base de dados relacional, capaz de apreender dinamicamente a estruturação da rede em Portugal. Esse processo será automático e semi-automático, sendo complementado com análises de controlo dos sites apurados, dando atenção às linkagens existentes, actualização, língua, utilização de meios hipermedia, experimentação, originalidade, etc.;
    3. a construção de um site/portal para o armazenamento dos dados sobre os sites relevantes, para a disponibilização dos dados e para a sua exploração através de interfaces que apresentarão por meios gráficos a densidade de conectividade e interactividade dos sites, bem como o seu agrupamento temático.
  3. A partir dos dados gerados estatisticamente segundo as classificações e critérios pré-definidos anteriormente, uma análise qualitativa e de conteúdos dos sites pertinentes, privilegiando-se aqueles que são principais ao nível da cibercultura, casos das «artes tecnológicas», da «ciberpolítica», do «hipertexto», da «imagem digital» em todas as suas formas, para além de temáticas mais específicas obre o «virtual», os «jogos interactivos», o «cyborg». Análise formal dos sites, tomando em atenção vários critérios:
    1. a análise quantitativa da direcção dos fluxos, medida em número de ligações,
    2. número de páginas web por site;
    3. nível de actualização;
    4. frequência dos links apontados por cada página;
    5. tipos de hipermedia utilizados.

    Análise qualitativa dos sites, de modo a controlar os resultados formais e estatísticos, mas também para averiguar a capacidade de experimentação, relação com a cibercultura mundial, contribuições para esta, criação de conteúdos originais, intensidade de utilização de meios, criação de redes portuguesas sobre as temáticas ciberculturais, etc.

  4. Intervenções originais sobre a cibercultura portuguesa, sendo constituído basicamente pela proposta a sites detectados como inovadores de intervenções experimentais, de modo a incrementar a sua criatividade, a articulá-los com outros projectos similares, dentro e fora do espaço .pt, e a reforçar a interligação de sites dispersos.

 

Alguns indicadores:
  • Livros: 15
  • Artigos em revistas nacionais (inc. online): 60
  • Artigos em revistas internacionais (inc. online): 14
  • Comunicações em encontros científicos nacionais: 57
  • Comunicações em encontros científicos internacionais: 21
  • Organização de seminários e conferências: 13
  • Teses de doutoramento: 2
  • Aplicações computacionais: 1
  • Outros: 1 site (Interact)